31 agosto 2010

tarde sem maiúsculas

tarde sem maiúsculas
(o pôr-do-sol é um convite)

lentamente cai a tarde,
eu observando a brisa suave
encantado com as cores do horizonte
sou elevado a expectador agraciado.

revisão e anestesia me sobrevêm,
os pensamentos e a saudade me visitam,
alegria e melancolia se misturam,
enquanto a vida se desdobra soberana.

as cores são hipnóticas,
e as dores são ancestrais.
as esperanças são latentes,
e meu coração é forjado pela vida.

(publicado originalmente em 14/08/2004)

Um comentário:

Anônimo disse...

Um pouco melancólico, mas tem sua beleza...